Anuncie aqui!
Publicado há 16:15 | Atualizado em 02/07/18 às 04:07

Agricultores de Taió avaliam seminário realizado na Alesc

Associados a Cooper Taió apresentaram sugestões para melhorar a produção da agricultura familiar na merenda escolar da rede estadual

O seminário que tratou da Logística de Distribuição e Armazenagem Aplicada às Compras Governamentais da Agricultura Familiar contou com a participação de cerca de 20 integrantes da Cooper Taió. Realizado no Plenarinho da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), o evento promovido pelo deputado estadual Milton Hobus (PSD) debateu propostas que vão compor uma proposta de emenda ao projeto de lei que visa incentivar a produção de alimentos através da agricultura familiar.

O deputado é um dos defensores da regionalização das compras da merenda escolar.  “Vamos apresentar uma minuta do Projeto de Lei, aos que estiveram presente no seminário e somente depois de receber propostas, é que vamos propor a legislação de venda regionalizada, sempre respeitando o cardápio regional”, declarou Hobus.

A presidente da Cooper Taió, Joci Tilmann Peron pediu durante o seminário a ampliação da lista de produtos da agricultura familiar para as escolas. Da lista de alimentos que são produzidos pela cooperativa apenas o arroz, biscoito, fubá e mel estão na chamada pública estadual. “Pedi para que implantem mais alguns produtos na chamada como o tomate, o morango, panificados, geleias, os congelados também que nós temos aipim, macarrão, nhoque”, disse.

Outro pedido foi para que sejam feitas mudanças no critério de desempate das chamadas, para permitir a competitividade de municípios menores, como Taió, por exemplo. “Poderia facilitar a entrega, não precisaria dois produtores pagar o caminhão para a entrega centralizada em Joinville, poderia juntar mais sócios e o custo do frente ficaria mais baixo”, acrescentou Joci.

A nutricionista da Prefeitura de Taió, Gabriella Muniz, acompanhou o seminário e comenta que na rede municipal de ensino o cardápio regionalizado traz muitos benefícios que podem se repetir para o Estado. “A aceitação dos alunos às refeições é melhor, temos um índice muito baixo de rejeição à merenda. Temos produtos de Taió que são muito bem aceitos como tomate, aipim, pães e o doce de frutas que vem da agricultura familiar, é uma pena que não estão na lista do Estado”, falou.

Seu Francisco e dona Ana Guski foram uns dos cooperados que integraram os representantes de Taió no seminário. O casal produz fubá no distrito de Passo Manso, a produção é destinada para a merenda escolar municipal e pontos comerciais, atualmente a quantidade de fubá que sai da atafona da família é menor do que a autonomia da estrutura montada. “Eu e meu marido é que trabalhamos na produção, a gente tem capacidade de produzir uns dois mil quilos por semana, mas hoje a gente produz uns 800 quilos para as escolas em Taió e alguns mercados”, disse Ana.

 

O presidente da Câmara de Vereadores de Taió, Tiago Maestri, que foi um dos organizadores da viagem dos cooperados para Florianópolis, fez uma avaliação positiva da participação dos produtores taioenses. “Quando recebi o convite do seminário eu sabia que Taió tinha que participar, as reivindicações foram ouvidas e anotadas, ou seja, agora os produtores taioenses têm participação direta em uma emenda ao projeto de lei que está sendo construída para valorizar a agricultura familiar”, concluiu.